Os 7 pecados capitais da higiene bucal

Nossa rotina tende a ser tão corrida que acabamos entrando em “modo automático” no dia a dia, não é mesmo? Contudo, assim corremos o risco de cometer alguns erros, principalmente em relação à nossa higiene bucal.

Diante disso, é importante ficar mais atento para evitar certos deslizes que possam comprometer a aparência e a saúde do nosso sorriso. Afinal de contas, ele é capaz de garantir não só o nosso bem-estar como também outras funções vitais para o organismo.

Portanto, leia o post a seguir para conhecer alguns pecados capitais cometidos nesse momento e para começar a evitá-los a partir de hoje!

1. Não visitar o dentista frequentemente

A principal falha cometida pelas pessoas é não fazer consultas odontológicas com regularidade. Muitos pacientes esperam ter um sintoma diferente ou perceber algum problema para voltar ao dentista e saber o que está acontecendo.

Entretanto, mesmo sem nenhum problema aparente, a prevenção realizada no consultório é fundamental para a boa saúde bucal. Logo, o ideal é manter um acompanhamento próximo, sendo aconselhável que as visitas sejam feitas pelo menos duas vezes ao ano, ou seja, de seis em seis meses.

2. Não trocar a escova de dentes

A recomendação de trocar a escova de dentes a cada dois ou três meses não é uma bobagem. À medida que as cerdas se desgastam, elas perdem um pouco da sua capacidade de limpeza, fazendo com que a pessoa faça muita força para conseguir escovar os dentes, o que também não é correto.

3. Usar muito creme dental

A quantidade de creme dental utilizado na hora da escovação não está relacionada à sua eficácia. Por isso, não é necessário encher a escova do produto, já que o que vai garantir a limpeza é realizar os movimentos corretos.

Aplicando o equivalente a uma ervilha no meio das cerdas da escova, será possível cumprir a tarefa e contribuir com a prevenção das cáries — principal razão pela qual o creme fluoretado é utilizado.

4. Escovar os dentes com muita força

Nesse caso, a técnica é muito mais importante que a força empregada na higiene bucal. Inclusive o uso da força ou de escova com cerdas muito duras pode acabar desgastando o esmalte e lesionando o tecido gengival.

5. Esquecer do fio dental

Essa é outra tarefa que a correria ou a preguiça não podem deixar que você esqueça. O fio dental ajuda a retirar restos de alimentos onde a escova não consegue alcançar. E isso contribui muito para afastar as cáries, o mau hálito e outras complicações.

Então, mesmo que você não consiga fazer uma escovação completa — com fio dental — depois de todas as refeições, faça pelo menos uma vez ao dia uma “faxina geral” para colher os benefícios de uma boca mais saudável.

6. Fazer a escovação de qualquer maneira

Esse é um dos erros mais frequentes de quem faz tudo correndo. Fazer uma escovação muito rápida e ineficiente é praticamente a mesma coisa que não fazer. Por isso a importância de acompanhar as crianças na hora da higiene bucal enquanto elas ainda não desenvolveram total autonomia.

Uma boa escovação deve priorizar todos os cantos da cavidade bucal, fazendo os movimentos corretos e não esquecendo da região entre os dentes que tendem a acumular resíduos de alimentos. Se você faz tudo isso em menos de dois ou três minutos, algo deve estar errado.

7. Confiar nos enxaguantes bucais

Muitas pessoas compram enxaguantes bucais nos supermercados e farmácias de maneira indiscriminada. O primeiro passo deve ser consultar o dentista para que ele indique o melhor produto para cada paciente e a frequência de uso mais adequada.

Além disso, é imprescindível ter em mente que o enxaguante é apenas um complemento da limpeza oral. Ele não pode ser usado para substituir a escovação, portanto não confie na sua capacidade de higienizar a boca sozinho!

E então, deu para aprender a cuidar melhor da higiene bucal? Não esqueça que manter uma boa rotina de cuidados é o que faz a diferença para a saúde em geral. Se ainda restou alguma dúvida, deixe um comentário e conte para a gente!

Deixe um comentário