Pasta de dente clareadora realmente funciona?

[vc_row][vc_column width=”1/2″][vc_single_image image=”6771″ img_size=”full”][/vc_column][vc_column width=”1/2″][vc_column_text]O creme dental é um produto químico que cumpre papel fundamental para a manutenção da saúde bucal. Isso porque seus compostos agem para eliminar a concentração de microrganismos, equilibrar a acidez da boca, fortalecer os dentes e remover a placa bacteriana.

Nos últimos tempos, as empresas lançaram uma infinidade de cremes dentais com sobrenome “whitening” que prometem clarear os dentes.

Entretanto, um estudo realizado em 2009 pela Associação Brasileira de Defesa ao Consumidor, conhecida como Proteste, mostrou que o uso da maioria desses produtos não resulta, na prática, em clareamento dental efetivo.[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column][vc_column_text]Na verdade, essas pastas são mais abrasivas que as comuns e funcionam como um “esfoliante” nos dentes. Portanto, elas são capazes de remover placa bacteriana, e até mesmo algumas manchas superficiais dos dentes (provenientes de corantes presentes em certos alimentos e bebidas,como café, chá, vinho, chimarrão, nicotina, etc).

O resultado é um dente ligeiramente mais branco, mas por ação da limpeza, e não porque uma reação química modificou a cor real do dente — como ocorre no caso do clareamento profissional, que usa peróxidos (de hidrogênio ou carbamida) . Algumas pastas, inclusive, possuem dióxido de titânio na fórmula, que nada mais é do um pigmento branco, dando uma falsa sensação de clareamento.

Os agentes abrasivos utilizados nas pastas podem, em longo prazo, provocar desgaste dental, principalmente em áreas de raiz exposta, o que gera aumento de sensibilidade dos dentes.

Para não ter prejuízos à estrutura dos dentes, o ideal é que as pastas clareadoras sejam utilizadas de forma mais controlada, somente por um período determinado pelo seu dentista.[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row]

Deixe um comentário